WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
maio 2019
D S T Q Q S S
« abr   jun »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

:: 4/maio/2019 . 23:59

Miss Brasil Fashion receberá prêmio 19 anos após calote

Resultado de imagem para Miss Brasil Fashion receberá prêmio 19 anos após calote em concurso

Penélope Tantan não hesitou quando foi convidada a participar daquele concurso de beleza que se propunha a eleger não uma miss convencional, ingênua e previsível, mas uma “top model” fashion e de corpo malhado.

O prêmio da Mulher Brasil 2000, criado para rivalizar com o tradicional e então decadente Miss Brasil, prometia a maior premiação já vista em uma disputa do gênero.

A vencedora, representante do que os organizadores do evento chamavam de “geração saúde”, receberia um carro zero, uma viagem com acompanhante para Milão e um contrato com uma agência de modelos de R$ 150 mil, (valor corrigido pela inflação), além de um book fotográfico.

Penélope, nome artístico de Sandra Gonçalves, ganhou o concurso, levou a coroa, a faixa e algumas crises de depressão para casa, mas até hoje, 19 anos depois, não viu o tal prêmio, com exceção de uma passagem para Nova York, sem direito a estadia.

A modelo e atriz tinha uma ligeira fama à época. Apresentava um programa na CNT-Gazeta, o “Encontros Inesquecíveis”, no qual, a bordo de um Fusca rosa que comprara ainda na faculdade de artes cênicas, contava histórias de casais, famosos ou não. Também fizera figuração em novela e em outros programas.

Como achava que o concurso de miss serviria de trampolim para sua carreira, aceitou pagar uma taxa de inscrição salgada de R$ 3.450 (valor atualizado), além de se submeter a um conjunto de regras bastante rígidas.

Teve, por exemplo, de parar de trabalhar por um ano a fim de preservar a sua imagem, bem como precisou perder quatro quilos, afinal, o prospecto do concurso pregava que “as formas arredondadas do passado deveriam ceder lugar a corpos musculosos, fortes e flexíveis”.

Nos dez dias que antecederam à apresentação final, que seria transmitida pela Rede Record, as candidatas não puderam deixar o hotel desacompanhadas de uma coordenadora, assim como não lhes foi permitido sair dos seus quartos depois do chamado “horário de recolher”.

As misses eram proibidas ainda de receber parentes e afins em seus aposentos, assim como seriam desclassificadas, de acordo com o regulamento, se fumassem, ingerissem bebidas alcoólicas ou usassem drogas “em público”.

Penélope começou a desconfiar que as coisas não caminhavam bem quando soube que a cerimônia não seria no Anhembi, como anunciado.

Ficou intrigada também com a desistência da candidata representante do estado de São Paulo nas vésperas do concurso, inconformada pelo atraso no pagamento da premiação da etapa paulista.

“Mas a desilusão mesmo veio quando fui receber o prêmio”, conta. “Não recebi nada.” Penélope diz que passou a ser vítima de chacota entre os amigos e no meio artístico. O concurso acabou nem mesmo sendo exibido na televisão.

Passou a ter crises de ansiedade, de depressão e até mesmo ataques de pânico. Na base de remédios fortíssimos, afirma que chegou a engordar quase 50 quilos.

Ela também diz ter recebido ameaças anônimas depois de processar os organizadores do evento na Justiça e, coincidência ou não, as oportunidades de trabalho na televisão foram minguando.

Sem alternativa, doente e triste, resolveu tentar reconstruir sua vida em Águas de Lindoia, município do interior de São Paulo, onde abriu uma lojinha de artesanato.

Hoje, aos 47 anos, de volta a São Paulo, vende seguros. É proprietária da corretora Pedra Bruta. Mas se diz frustrada. “Era uma menina cheia de sonhos e perdi a carreira para a qual havia estudado tanto”, diz. “Nunca fui uma modelinho qualquer, fiz artes cênicas e dramáticas”, afirma.

No mês passado, recebeu uma boa notícia. A ação que já dura quase 15 anos foi finalmente julgada.

O Tribunal de Justiça condenou a empresa Enjoy Promotora de Concurso de Beleza a pagar-lhe cerca de R$ 185,7 mil por danos morais e materiais, valor que, com juros e correção monetária a serem calculados oficialmente pela Justiça, pode ultrapassar os R$ 600 mil.

“A autora foi tolhida da oportunidade de iniciar sua carreira de modelo, o que comprometeu severamente seu futuro profissional”, afirmou o relator do processo no TJ, desembargador José Carlos Ferreira Alves, referendando decisão de primeira instância.

Mario Izzo, advogado da Enjoy, diz que cabe recurso à decisão. A empresa afirma não saber se os prêmios foram pagos à época por não ter nada a ver com o evento. Diz que a antiga sócia, hoje falecida, “emprestou” a empresa para uma amiga que tinha experiência na produção de concursos e que só por mera formalidade o nome da Enjoy, hoje inativa, constou de alguns folhetos.

Considera também que o valor da condenação é excessivo, “um verdadeiro bilhete de loteria”. “Nem em caso de morte este tribunal costuma arbitrar valores tão altos.”

A defesa considera ainda que, mesmo que “eventualmente a premiação não tenha sido paga”, Penélope foi, sim, beneficiada pela sua participação no concurso.

De acordo com a empresa, por conta da disputa, a Mulher Brasil 2000 esteve em vários programas de televisão e teve sua imagem “divulgada para quem quisesse contratar seus serviços como modelo”. Não caberia, portanto, a afirmação de que sofreu danos morais.

Prova de vida: Nova opção para segurados idosos ou com dificuldades para se deslocar

A resolução 677/2019 do INSS, estabelece mais uma alternativa para que o idoso faça a fé de vida, sem excluir a possibilidade de que esse procedimento seja feito pela rede bancária. Com a nova resolução, os segurados do INSS com idade igual ou superior a 60 anos poderão, a partir de agora, agendar para serem atendidos em uma das agências do órgão. Já os segurados acima de 80 anos e beneficiários com dificuldades de locomoção podem agendar para que um servidor do INSS vá a residência ou outro local em que estiverem, para que seja realizado o procedimento. O agendamento pode ser feito pela Central de Atendimento 135 e pelo Meu INSS ou outros canais a serem disponibilizados pelo Instituto.

No caso de pessoas com dificuldade de locomoção, o agendamento da visita de um servidor para o procedimento deve ser feito perante apresentação de atestado médico ou declaração emitida pelo hospital em uma das agências, com agendamento prévio (telefone 135 ou Meu INSS).

Vale destacar, porém, que o procedimento para os demais segurados continua sem alterações, e deve ser feito através da rede bancária, dentro do período de 12 meses. Os bancos fazem os comunicados da necessidade de realizar o procedimento anual por meio de mensagens informativas, disponibilizadas nos terminais eletrônicos de autoatendimento e sites na internet. A prova de vida, estabelecida em 2011, tem como principal objetivo dar mais segurança ao cidadão e ao Estado brasileiro, pois evita pagamentos indevidos de benefícios e fraudes.

Quando devo fazer a prova de vida?

A rotina é cumprida anualmente pela rede bancária, que determina a data da forma mais adequada à sua gestão: existem bancos que utilizam a data do aniversário do beneficiário e outros utilizam a data de aniversário do benefício, por exemplo.

Onde devo ir?

Basta ir diretamente no banco em que recebe o benefício, apresentar um documento de identificação com foto (carteira de identidade, carteira de trabalho, carteira nacional de habilitação e outros). Algumas instituições financeiras já utilizam a tecnologia de biometria nos terminais de autoatendimento.

Se não conseguir ir ao banco?

Os beneficiários que não puderem ir até as agências bancárias também podem realizar a comprovação de vida por meio de representante legal ou pelo procurador do beneficiário legalmente cadastrado no INSS ou na instituição financeira responsável pelo pagamento do benefício.

E quem mora fora do Brasil?

Os segurados que residem no exterior também podem realizar a comprovação de vida por meio de um procurador cadastrado no INSS ou por meio de atestado de vida emitido por consulado ou ainda pelo Formulário Específico de Atestado de Vida para o INSS, que está disponível no site da Repartição Consular Brasileira ou no site do INSS.

Caso o beneficiário opte por usar o Formulário, este deverá ser assinado na presença de um notário público local, que efetuará o reconhecimento da assinatura do declarante por autenticidade.

Além disso, quando o beneficiário estiver residindo em país signatário da Convenção sobre Eliminação da Exigência de Legalização de Documentos Públicos Estrangeiros (Convenção de Haia/Holanda, de 05 de outubro de 1961), aprovada pelo Decreto Legislativo nº 148, de 12 de junho de 2015, o Formulário deverá ser apostilado pela autoridade competente da mesma jurisdição do cartório local.

Quando se tratar de país não signatário da Convenção, no caso do formulário, após ter ocorrido o reconhecimento da assinatura pelo notário público local, o citado documento deverá ser encaminhado às Repartições Consulares Brasileiras para legalização.

Para os residentes em países com os quais o Brasil mantém Acordo Internacional, o documento deverá ser enviado, via correio, para a Agência da Previdência Social de Acordo Internacional responsável pela operacionalização do Acordo com o referido país (Tabela de Endereços das APS-AI).

No caso de outros países,o documento deverá ser enviado à Coordenação Geral de Gerenciamento de Pagamento de Benefícios – CGGPB, com endereço no SAUS – Quadra 2 – Bloco O – 8º andar – Sala 806 – CEP 70.070-946 – Brasília / DF.

O que acontece com quem não realizar a prova de vida?

Quem não fizer no final de 12 meses da última comprovação terá seu pagamento bloqueado. A liberação do benefício é automática, tão logo o segurado ou representante legal compareça para o procedimento. Vale destacar que após seis meses sem comprovação de vida o benefício é cessado.

Dos mais de 35 milhões de beneficiários, em março, 529 mil ainda não compareceram aos bancos pagadores há mais de doze meses da última comprovação para realizar o procedimento. Eles podem ter seus benefícios interrompidos ainda em março de 2019.

Microcomparação balística chegará ao município de Juazeiro

O exame de microcomparação balística – que permite avaliar se há relação entre um projétil e uma arma de fogo utilizada em mortes violentas – passará a ser oferecido pela Coordenação Regional do Departamento de Polícia Técnica de Juazeiro. Na manhã desta sexta-feira (3), o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa, visitou as obras das novas instalações da unidade, que deve ser entregue nos próximos meses.
A tecnologia permitirá mais agilidade na elaboração dos laudos envolvendo investigações de crimes contra a vida, que atualmente são realizadas na sede do DPT, em Salvador, e na Coordenação Regional de Feira de Santana.
ssp
Secretário de Segurança visita obras Coordenação regional de Polícia Técnica de Juazeiro
“Será mais uma ação de interiorização dos serviços da Polícia Técnica, visando dar melhor estrutura para os peritos e oferecer maior subsídio, de maneira mais rápida, aos policiais civis para a conclusão das investigações”, afirmou o secretário.
A nova sede da CRPT está com 48% das obras concluídas e deve ser entregue ainda este ano. Cerca de 1,4 milhão é investido na estrutura. Também está em andamento a reforma do necrotério que atende ao município, onde são aplicados aproximadamente R$150 mil. Iniciada este mês, a intervenção já está 35% executada.
ssp
Já o diretor do DPT, Elson Jeffesson, destacou a chegada do Laboratório da Antropologia Forense que vai auxiliar na identificação humana. ” É um ganho enorme não só para o Juazeiro, mas para toda a região Norte”, reforçou.
Reunião Operacional
Ainda em Juazeiro, o secretário reuniu autoridades locais para alinhamento de ações operacionais com foco na prevenção de crimes contra a vida na região Norte do estado. Os responsáveis pelo policiamento nos 53 municípios que integram a região também participaram do encontro, que resultou no alinhamento de operações conjuntas.
ssp
Imagens: Alberto Maraux

Primeira igreja evangélica LGBT em Salvador ganha sede; fundador diz que ‘Deus ama todos’

Primeira igreja evangélica LGBT em Salvador ganha sede; fundador diz que 'Deus ama todos'

Foto: Reprodução / G1

Com o objetivo de apresentar ao soteropolitano a pregação evangélica inclusiva, a Igreja Cristã Contemporânea ganhou uma sede em Salvador neste sábado. Após três anos de atuação na cidade, representantes da denominação que tem LGBTs e familiares como principal público, inaugurou sede própria na Avenida Bonocô – a primeira no Nordeste.

 

De acordo com o G1, além da Bahia, a Igreja Cristã Contemporânea atua em outros 4 estados. São 7 igrejas no Rio de Janeiro, 2 em São Paulo, 2 em Minas Gerais e 1 no Espírito Santo. A mais nova sede, em Salvador, representa uma realização para o fundador da denominação, pastor Marcos Gladstone.

 

O pastor conta que o primeiro culto da igreja ocorreu na praia de Ipanema, no Rio de Janeiro, quando se juntou a outras duas pessoas e fez uma oração. O passo seguinte foi o de construir e dar prosseguimento à denominação.

 

O pastor Marcos é casado com outro pastor e tem quatro filhos adotivos. Segundo o líder da igreja, a família homoafetiva está entre os principais pontos adotados nas pregações. Familiares de LGBTs também são bem recebidos na igreja. O pastor conta que a maioria deles busca abrigo após situações de preconceito em outras denominações.

 

Os cultos da Igreja Cristã Contemporânea ocorrem aos domingos, às 10h. Para inauguração, a congregação sediada ao lado da passarela da loja Le Biscuit, fará um culto especial neste sábado às 19h.





WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia