WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
março 2019
D S T Q Q S S
« fev    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

:: 8/mar/2019 . 12:25

Dia Internacional da Mulher

Doze ladrões de camarotes são flagrados com produtos furtados

Os criminosos foram capturados após desviarem caixas de bebidas e brindes que seriam utilizados durante a folia.

Doze pessoas foram capturadas, na tarde desta terça-feira (5), no circuito Dodô, em Ondina, após furtarem diversas caixas de bebidas e brindes do Camarote Salvador. O grupo formado por funcionários que ocupavam funções de destaque na empresa, já vinha atuando há cerca de três Carnavais. Raul Souza Silva, Josinet de Jesus, Lucimara de Jesus, Elton Jonhnys Bispo,Rafael Geovan de Jesus, George Maryano Mascarenhas de Oliveira, José Paulo Cerqueira dos Santos, Leandro de Lima Santana, Cezar Mustafá Tanajura, Juvenal Augusto Guedes de Santana e Mario Augusto Souza dos Santos foram presos por equipes do Esquadrão Águia, da Polícia Militar, acionadas por uma testemunha.

 De acordo com o major PM André Borges, comandante do Águia, Juvenal foi flagrado no veículo Renault Logan branco, de placa NZU 0743, com diversos produtos furtados. O criminoso revelou que parte do material, já retirado anteriormente das dependências do camarote, foi escondida em sua casa, no bairro de Brotas.

Uma pequena quantidade do material foi encontrada no carro com Juvenal, que entregou o resto do grupo. “Realizamos outras diligências, com o apoio da Polícia Civil, e encontramos várias caixas de bebidas, energéticos e outros itens na casa do suspeito”, revelou major Borges.

 O caso foi registrado na 12ª Delegacia Territorial (DT/Itapuã). O delegado titular, Nilton Tormes disse existe indicativo que o grupo dividiria todo produto roubado. “Eles já atuavam há três ou quatro carnavais”, frisou.

Carnaval termina sem homicídio pelo segundo ano consecutivo

Trabalho das forças de segurança resultaram em 4.444 mil suspeitos conduzidos e 99 presos em flagrante.
Assim como no Carnaval do ano passado, a folia momesca de 2019 em Salvador terminou sem registro de Crime Violento Letal Intencional (CVLI), que corresponde a homicídio, latrocínio e lesão dolosa seguida de morte, nos três circuitos (Dodô, Osmar e Batatinha) oficiais da festa. Os dados do evento foram apresentados durante coletiva, na manhã desta quarta-feira (6).
Um dos pontos divulgados foi referente às Câmeras de Reconhecimento Facial, novidade tecnológica empregada pela primeira vez nos Portais de Abordagem. Cerca de 3 milhões de rostos foram identificados pelos equipamentos. Em um dos casos, o homicida Marcos Vinícius de Jesus Neri, foragido da Justiça, foi detectado e preso.
Ainda no quesito produtividade 4.444 mil suspeitos foram conduzidos. Destes, 99 acabaram presos em flagrantes pelos crimes de roubo, furto, lesão corporal, entre outros. “Tivemos um Carnaval com as ruas cheias de baianos e turistas. Com certeza o público superou o de 2018 e os desafio também foram maiores”, comentou o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa.
Outros números
Novidades no Carnaval 2019, os postos com atendimento relacionado a violência contra a mulher contabilizaram 10 prisões, adotaram cinco medidas protetivas e receberam sete queixas de importunação sexual. 
Outra inovação, o posto para casos de racismo e intolerância computaram duas situações, sendo uma de homofobia e outra de injúria racial.Completando o balanço, a polícia contabilizou 121 casos de roubos e 891 de furtos. 
“Comemoramos mais um ano sem morte, porém notamos a criminalidade buscando outras formas de entrar nos circuitos com armas. Aperfeiçoaremos as ações de combate e repressão neste sentido, em 2020”, informou Barbosa.

ILHÉUS: JUSTIÇA DETERMINA PRISÃO PREVENTIVA DE TAXISTA QUE ATROPELOU CRIANÇAS NA FAIXA

O juiz da comarca de Ilhéus, Gustavo Henrique Almeida Lyra, determinou a prisão preventiva do taxista Agnelo Brito Leal, de 56 anos, de Itabuna. Leal foi flagrado por uma câmara de segurança atropelando, na faixa de pedestres, duas mulheres e duas crianças. O caso aconteceu na noite do dia 23 de fevereiro, na Rua 13 de Maio, no bairro Pontal, em Ilhéus.

De acordo com a Polícia Civil, além de não respeitar a sinalização, o taxista não prestou socorro às vítimas e só parou depois de ser perseguido por outros motoristas. As duas mulheres tiveram ferimentos em várias partes do corpo. O taxista está detido no Conjunto Penal de Itabuna.

QUASE NO FINAL DA FAIXA

A dona de casa Elizabeth Conceição Santos de Jesus e a sobrinha dela, a estudante Carla Bianca dos Santos Lopes, relatam que estavam quase no final da faixa quando foram atropeladas. Além das duas mulheres, duas crianças foram atingidas e internadas em hospitais de Ilhéus e Itabuna.

De acordo com a estudante Carla Bianca, após o atropelamento, o taxista ainda percorreu alguns metros com uma das crianças presa ao capô do veículo. Desesperada, a estudante afirma que ficou gritando para o motorista parar, mas não foi atendida imediatamente. A criança caiu do capô, segundo ela, quando o motorista, freou alguns metros  do local do atropelamento.

AOS 85 ANOS, MORRE JOÃO HYGINO FILHO

Ex-procurador do Estado, jornalista e advogado, João Hygino Filho faleceu, na madrugada desta sexta-feira (8), no Hospital Calixto Midlej Filho, em Itabuna, aos 85 anos. João Hygino ocupava a cadeira número 1 da Academia de Letras de Ilhéus (ALI), conforme a própria instituição.

Nascido em Porto Seguro, partiu ainda novo para o Rio de Janeiro, de onde retornou e formou-se em Direito pela Faculdade de Direito de Ilhéus, que deu origem à Fespi, hoje Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc). Trabalhou no jornalismo na Ceplac, em Ilhéus, e foi vice-presidente da subseção ilheense da OAB, além de servidor da Secretaria de Agricultura da Bahia. O acadêmico deixa sete filhos.

O corpo de João Hygino está sendo velado no SAF de Ilhéus, na Conquista, e o enterro está previsto para as 16h desta sexta, no Cemitério São João Batista, na zona sul de Ilhéus. Nas redes sociais, amigos lamentam a perda.

Secretário de Turismo e Esporte de Ilhéus, o professor Alcides Kruschewsky assim se expressou numa rede social. “Hygino foi um dos melhores amigos de meu pai e da nossa família; seu companheiro de jornalismo e universidade, intelectual, correto e amável. Deixa um rastro de dignidade na sua trilha e um sentimento de perda irreparável”.

No Dia Internacional da Mulher, Bolsonaro fará evento com Michelle e Damares

No Dia Internacional da Mulher, Bolsonaro fará evento com Michelle e Damares

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, o governo de Jair Bolsonaro vai realizar um evento para funcionárias do Palácio do Planalto nesta sexta-feira (8). A cerimônia deve ser fechada e contará com a presença da primeira-dama Michelle Bolsonaro, da ministra Damares Alves, do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, e do ministro Osmar Terra, da Cidadania.

Os três participaram de um encontro nesta quinta (7) com o presidente Bolsonaro para discutir a ação. Durante o evento devem ser distribuídos presentes em homenagem ao dia da Mulher e as autoridades farão discursos para os participantes.

Pela manhã, Damares assinará um acordo de cooperação técnica com o ministro Sergio Moro, da Justiça e Segurança Pública, para intensificar o combate à violência doméstica e familiar contra a mulher. Segundo o Ministério da Justiça, as pastas vão promover ações conjuntas para mobilizar agentes e serviços com objetivo de atender e proteger as mulheres vítimas de violência “e fomentar o tratamento dos agressores que estejam no sistema prisional”.

As iniciativas são uma tentativa do governo Bolsonaro de se afastar das críticas do público feminino sobre declarações misóginas feitas pelo dirigente. Durante a vida parlamentar, ele colecionou falas polêmicas envolvendo mulheres, como por exemplo ao afirmar que “deu uma fraquejada” ao ter uma filha caçula mulher, em referência a Laura, 10, que também é filha de Michelle.

“Eu tenho 5 filhos. Foram 4 homens, a quinta eu dei uma fraquejada e veio uma mulher”, disse em 2017.

Juiz aceita denúncia e torna réus 17 investigados no caso BRB-Trump Hotel

Juiz aceita denúncia e torna réus 17 investigados no caso BRB-Trump Hotel

O juiz Vallisney de Oliveira, da 10ª Vara de Justiça Federal em Brasília, aceitou denúncia oferecida pelo Ministério Público Federal (MPF) contra 17 pessoas investigadas na operação Circus Maximus,que apura crimes cometidos por dirigentes do Banco de Brasília (BRB).

Na denúncia, aceita pela Justiça, os procuradores pediram a condenação dos investigados por supostas ilegalidades envolvendo investimentos realizados pelo BRB. Os denunciados se tornaram réus por crimes contra o sistema financeiro, gestão fraudulenta, corrupção, lavagem de dinheiro, entre outros.

A operação investiga um esquema de pagamento de propinas a diretores e ex-diretores do BRB em troca de investimentos em projetos como o do extinto Trump Hotel, no Rio de Janeiro, atualmente LSH Lifestyle. De acordo com os investigadores, uma organização criminosa atuava no banco desde 2014.





WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia