Ex-procurador do Estado, jornalista e advogado, João Hygino Filho faleceu, na madrugada desta sexta-feira (8), no Hospital Calixto Midlej Filho, em Itabuna, aos 85 anos. João Hygino ocupava a cadeira número 1 da Academia de Letras de Ilhéus (ALI), conforme a própria instituição.

Nascido em Porto Seguro, partiu ainda novo para o Rio de Janeiro, de onde retornou e formou-se em Direito pela Faculdade de Direito de Ilhéus, que deu origem à Fespi, hoje Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc). Trabalhou no jornalismo na Ceplac, em Ilhéus, e foi vice-presidente da subseção ilheense da OAB, além de servidor da Secretaria de Agricultura da Bahia. O acadêmico deixa sete filhos.

O corpo de João Hygino está sendo velado no SAF de Ilhéus, na Conquista, e o enterro está previsto para as 16h desta sexta, no Cemitério São João Batista, na zona sul de Ilhéus. Nas redes sociais, amigos lamentam a perda.

Secretário de Turismo e Esporte de Ilhéus, o professor Alcides Kruschewsky assim se expressou numa rede social. “Hygino foi um dos melhores amigos de meu pai e da nossa família; seu companheiro de jornalismo e universidade, intelectual, correto e amável. Deixa um rastro de dignidade na sua trilha e um sentimento de perda irreparável”.