WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
março 2019
D S T Q Q S S
« fev   abr »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

:: 22/mar/2019 . 17:03

TRF-2 só julgará na quarta-feira pedidos de liberdade de Temer, Moreira e demais investigados

Com o antagonista antecipou  , o desembargador Ivan Athié, do TRF-2, decidiu enviar para a 1ª Turma os pedidos de liberdade de Michel Temer, Moreira Franco, coronel Lima e demais investigados.

Na mesma decisão, Athié abriu a possibilidade de que Marcelo Bretas reconsidere a prisão de Temer, considerando os argumentos apresentados pela defesa no HC.

Ou seja, o ex-presidente vai passar o fim de semana em cana.

DCCP localiza principal assaltante de carros-fortes em Salvador

Igor Alves Andrade, o 'Pedrita', tinha mandado de prisão e estava foragido. Equipes da COE deram apoio nas diligências.

O Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP) da Polícia Civil localizou, na madrugada desta sexta-feira (22), Igor Alves Andrade, o ‘Pedrita’, alvo prioritário da Secretaria da Segurança Pública e considerado o principal assaltante de carros-fortes em Salvador. Equipes da Coordenação de Operações Especiais (COE) deram apoio nas diligências.


Com mandado de prisão em aberto e foragido da Justiça, Pedrita voltou a Salvador, segundo informações iniciais, para planejar e executar novas investidas contra empresas de valores. Após ações de inteligência e campana os policiais civis encontraram ele, na localidade do Forno, no Engenho Velho da Federação.

Durante cerco à casa usada como esconderijo, Pedrita atirou e acabou ferido no confronto. O criminoso chegou a ser socorrido para o Hospital Geral do Estado (HGE), mas não resistiu.

Na lista de roubos e tentativas contra carros-fortes praticados por Pedrita estão os ocorridos no Shopping Sumaré, no Atakarejo de Amaralina, e contra uma casa lotérica no Engenho Velho da Federação. Após os crimes, ele ostentava fotos com o dinheiro na redes sociais e se hospedava em flats.

“Colocamos como prioridade para 2019 chegar até este criminoso. O trabalho continua até prendermos os outros integrantes da quadrilha”, comentou o diretor do DCCP, delegado Élvio Brandão.

Igor Alves Andrade, o 'Pedrita', tinha mandado de prisão e estava foragido. Equipes da COE deram apoio nas diligências.

V Encontro Nacional de Bombeiras acontece em Salvador

Na próxima quarta, quinta e sexta-feira (27, 28 e 29) bombeiras militares de todos os estados e Distrito Federal vão se reunir para debates sobre mulheres na corporação.

V Encontro Nacional de Bombeiras (Enbom), acontece na próxima quarta, quinta e sexta (27, 28 e 29) e vai reunir bombeiras militares de todos os estados e Distrito Federal. O objetivo é debater a atuação das mulheres nas corporações bombeiro militar, através de uma perspectiva que denote atenção à saúde, autocuidado, liderança e progressão na carreira.


Durante o encontro, acontece ainda o concurso Bombeiras de Aço, que vai reunir competições de resgate em altura, resgate aquático e combate a incêndio. A estimativa é que o evento tenha cerca de 400 participantes de todos os estados do País.


Palestras, mesas redondas, além de oficinas e apresentação de trabalhos científicos também fazem parte da programação do evento. O objetivo também é a demonstração da padronização de técnicas das diversas áreas bombeirísticas, ficando nos aspectos técnicos, físicos e operacionais.

Prisão é presente político para Jair Bolsonaro, mas reação ameaça reforma

Prisão é presente político para Jair Bolsonaro, mas reação ameaça reforma

A prisão do ex-presidente Michel Temer (MDB) caiu como um presente político para seu sucessor, Jair Bolsonaro (PSL). Não só ele: a ação da Lava Jato ocorre em um momento de extrema fragilidade do ex-juiz que simbolizava a operação, o hoje ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública).

Mas é preciso colocar o impacto político em perspectiva: a reação do mundo político tende a ser negativa para a tramitação da reforma da Previdência, pedra fundamental para a existência do governo. Não se está insinuando aqui que a Lava Jato agiu para ajudar políticos, apenas se trata do contexto da ação.

O começo tumultuado do governo Bolsonaro começou a cobrar preço de popularidade do presidente, como mostrou pesquisa do Ibope divulgada na quarta (20). A lista de imbróglios é enorme: disputa entre a ala ideológica do governo e os militares, o caso Queiroz e milícias, o laranjal do PSL, declarações estapafúrdias de ministros, desconfianças cada vez maiores entre seus aliados no agronegócio, as dificuldades em amarrar a tramitação da reforma da Previdência.

Acima de tudo, devido muito ao último item, a sensação de estagnação na economia. Por óbvio, melhorias não acontecem do dia para a noite, mas a confluência de crises dá pistas para o desgaste.

A prisão de Temer traz à tona novamente um dos esteios da onda de direita que levou o improvável Bolsonaro ao Planalto: a ideia de que o sistema precisa ser moralizado. Prender um ex-presidente, por mais que sua fama não fosse das melhores, é um sinal poderoso.

Ainda que a ação tenha sido da Lava Jato, a percepção pública confunde sempre as figuras de autoridade, e Bolsonaro sempre associou-se à marca da operação (inventou até uma “Lava Jato da Educação”, que não decolou, nomeou Moro ministro).

Se o noticiário irá trazer vantagens duradouras ao presidente, isso parece mais improvável. Mas é um respiro. A ressalva básica é necessária: como será absorvido o impacto da ação no Congresso em plena discussão da reforma da Previdência.

Aqui, duas leituras são possíveis. Primeiro, que a prisão de um ex-presidente relembrará aos políticos o temor que a Lava Jato costumava gerar em seus dias mais áureos, e com isso facilitar alinhamento automático à proposta do governo pela confusão de figuras de autoridade.

A segunda, talvez mais provável e já perceptível em um apanhado de primeiras reações, seja o aumento da resistência a um governo que tem entre suas marcas de propaganda a ideia de moralizar a “velha política”. Já em relação a Moro, é certo dizer que a ação de seus antigos aliados veio em seu socorro. Desde o começo do governo, a suposta carta branca que Bolsonaro havia lhe dado foi rasgada inúmeras vezes, pelo presidente inclusive.

Nesta semana, contudo, ele viu aberta uma frente de embate séria com ninguém menos que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), com quem trocou animosidades devido à falta de prioridade dada pela Casa ao seu projeto anticorrupção.

É um confronto ruim para o governo: dono da pauta da Câmara, Maia pode atrapalhar o andamento da reforma previdenciária. Agora, o mesmo “éthos” que transformou o então juiz Moro em herói nacional volta à tona com a prisão de Temer. Nunca é demais lembrar que o próprio Maia já teve seu nome citado em investigações no passado recente. E é genro de Moreira Franco, outro cacique do MDB preso nesta quinta.

Moro se recupera, embora isso não seja garantia que sua agenda será avançada mais rapidamente pela exata mesma questão colocada sobre a reação corporativa do Congresso à prisão de Temer. Nas notas talvez não laterais, cabe lembrar que a Lava Jato em si estava sob pressão por decisão recente contra um de seus pilares no Supremo Tribunal Federal. E que magistrados e procuradores estão na linha de frente do combate à reforma da Previdência, uma eventual vítima dos eventos desta quinta.

STF fica em alerta com delação que pode atingir Luiz Fux por recebimento de propina

STF fica em alerta com delação que pode atingir Luiz Fux por recebimento de propina

Foto: STF

O Supremo Tribunal Federal (STF) está em alerta com os rumores de que uma delação premiada pode atingir os ministros da mais alta Corte do país. A revista Veja revela na edição desta sexta-feira (22) a existência de um anexo na delação do empresário Jacob Barata, conhecido como “rei do ônibus” no Rio de Janeiro.

 

Esse anexo indica que um ex-assessor do ministro Luiz Fux, teria recebido uma propina milionária para ajudar a influenciar uma decisão judicial. Na delação, Barata diz que em 2011 ouviu do presidente da Fretranspor, José Carlos Lavouras, que precisava repassar um dinheiro para um assessor do ministro. Lavouras mora em Portugal atualmente. O assessor de Fux, José Antônio Nicolao Salvador, foi demitido em 2016. Fux disse a revista que o assessor ostentava um padrão de vida superior ao que o salário permitia.

Homem sai andando depois de passar 62 horas sob escombros de prédio que desabou

Rio do Pires: Barragem tem estado 'péssimo' de conservação

Foto: Divulgação

Uma vistoria feita na barragem José Ferreira, em Rio do Pires, no sudoeste baiano, considerou “péssimo” o estado de conservação da represa. A inspeção apontou também trechos já comprometidos na estrutura, com risco de instabilidade da represa. O reservatório, que serve para o abastecimento de água, tem sido motivo de preocupação dos moradores que já apontaram problemas, como rachaduras e infiltrações.

 

Nesta quinta, uma equipe da Codevasf [Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco] esteve no local para avaliar a possibilidade de emprego da técnica de jusante, que permite o aumento da capacidade hídrica da represa. Segundo a companhia, as irregularidades vão de trincas [rachaduras] e “embarrigamento” com risco de instabilidade estrutural.





WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia